Sunday, May 03, 2009







Alguns ensinamentos Budistas valorizam a compassividade e o carinho na abordagem dos outros seres (quer Humanos, quer quaisquer outros) justificando esse carinho com a imagem de que todos estamos interligados, de tal modo que todos já fomos, somos actualmente ou viremos a ser, mães ou filhos uns dos outros.



Tal argumento será liminarmente recusado pelas mentes mais materialistas como ilógico, e no entanto, a actual física descobriu a interdependência não só entre sujeito e objecto, mas entre todos os componentes de um universo que se descobre todos os dias mais holístico.



Se encontrarmos na imagem Budista, não a sua "lógica", mas a extraordinária potencialidade de Amor Compaixão, então poderemos SENTIR com o coração a verdadeira interacção entre pelo menos MUITOS, IMENSOS SERES, incluíndo todos os que têm ou já tiveram um impacto na nossa vida... e se começarmos a pensar, são mesmo MUITOS.

Neste dia da Mãe, relembremos todas as Mães. Talvez até as que são descritas nas várias Religiões, as Mães de Amor que deram ao Mundo os Grandes Seres que o têm inspirado...

E nesse momento vem à lembrança Nossa Senhora, cuja sabedoria A levava a "ponderar no coração" todos os assuntos mais complexos.

Mães e Filhos - quanto aprendemos uns com os outros!
A todas as Mães, Pais e Filhos dedicamos esta curta "ponderação" da interligação Humana.


Isabel



Lisboa, 03 de Maio de 2009, Dia da Mãe.
Comentário:
Talvez devessemos ponderar também que, se todos os seres provêm da mesma Fonte (quer tenhamos uma visão materialista quer espiritualista da Vida e do Cosmos), todos nos poderemos considerar irmãos. Somos todos, e tudo o que existe, constituídos por biliões de partículas, e estas puderam dar forma a TUDO através da interacção umas com as outras. Depois da primeira fase de repulsão de todos os ingredientes, só através da força de coesão e interacção das diferentes partículas, podemos todos confirmar que estamos aqui e agora, depois de um percurso de milhares de anos de evolução. Hoje podemos dizer que a interacção é a cooperação, a interajuda, o amor como a força cósmica mais poderosa que existe. Porquê, então, a competição, cega, impiedosa e destrutiva?
José António








14 comments:

Chica said...

Que lindas reflexões sobre um tema desses. Não há nada mais lindo e forte do que as relações entrew mães e filhos! Que nesse dia, quando aí em Portugal se festejam as mães, todas se sintam acarinhadas e abraçadas. Pra nós aqui é no próximo domingo. um abração, tudo de bom,chica

Suellem Boton said...

Olá tem um selinho para vcs no meu blog!!!

gaivotadourada said...

Encantada com o que aqui leio, uma mensagem com a grandeza do coração e com profunda sabedoria! Que a Energia de todas as Mães se espalhe pelo mundo e que os Filhos a façam sempre vibrar... É uma alegria e um privilégio ler vocês, meus Irmãos de além mar! Abraços e um beijo especial para Maria Carmo, pelo seu dia!

Isabel José António said...

Querida Amiga Chica,

Muito obrigado pela sua visita.

Um abraço

José António

Isabel José António said...

Querida Amiga Suellem Boton,

Muito obrigado pela visita e pelo selo. Logo que possa a Isabel irá tratar dele, prometo.

Um abraço

José António

Isabel José António said...

Querida Gaivotadourada,

Muito obrigado por nos ter visitado. Maria Carmo manda um Xicoração.

José António

Anne Lieri said...

Que beleza de mensagem de grande espiritualidade e desprendimento!Uma grande lembrança a do amor incodicional de Nossa Senhora,nossa mãe maior!Parabéns a todas as mães portuguesas!Abraços,

Angel of Light said...

Olá meus queridos irmãos de caminhada!

Mais uma bela e oportuna reflexão, que valoriza tudo aquilo que o ser humano tem desprezado ao longo dos tempos, tudo por culpa do seu egocentrismo e do querer mais e mais, seja lá de que forma for. Está bem que só assim conseguiria chegar ao "outro lado", experimentando e vivenciando o inverso. Mas já vimos que conseguimos viver anulando a dualidade. Deixemo-la de lado e vivamos o AMOR na sua plenitude, emanando LUZ para todos os seres humanos e para todas as outras formas de vida, sejam elas uma doce borboleta, uma flor silvestre ou um grãozinho de areia da praia, porque TODOS são preciosos para que esta peça continue em cena!

Beijinhos de Amor e Luz!

Isabel José António said...

Caríssima Anne Lieri

Muito obrigado pela sua passagem por esta nossa casa e por tão sábio comentário.

Um grande abraço

José António

Isabel José António said...

Querida Irmã Rita,

Ainda bem que nos visitou e deixou tão precioso comentário.

Um grande abraço para si, marido e as três crianças.

Um sorriso luminoso para si

José António

Isabel José António said...

Querida Irmã Rita,

Ainda bem que nos visitou e deixou tão precioso comentário.

Um grande abraço para si, marido e as três crianças.

Um sorriso luminoso para si

José António

Helena C de Araujo said...

Ensinamentos, reflexões, leituras de excelente conteúdo, sabedoria em palavras...
E a gente cresce, aprende...

Abraços aos dois amigos!

Isabel José António said...

Querida Amiga Helena Araújo,

Muito obrigado pela sua visita e pelo simpático comentário.

Um grande abraço e bom domingo.

José Antonio

LUZ said...

Adorei o que li, e... reli.
Parabens pelo blog.
Namastê