Monday, March 16, 2009




"Um navio está seguro no porto - mas os navios não são feitos para isso..."

John A. Shedd



Não pude deixar de reflectir quando li esta citação, encimando um dos capitulos do livro de Dan Millman, "A Jornada Sagrada do Guerreiro Pacífico".


Talvez alguns de vós se lembrem dele, do filme "O Caminho do Guerreiro Pacífico".

Claro que, em Portugal, cheguei a ouvi-lo descrito como "um filme sobre ginástica"!!!
Se ainda não o viram, já saiu em DVD e talvez vos faça pensar, como aconteceu connosco.


Pois bem, agora surgiu um livro que é, não a história que deu origem ao filme, mas a sua continuação.


Já aí uma grande lição: as jornadas não se conquistam de uma vez por todas: quando chegamos ao fim de um percurso, ao fim de algum tempo, outro se apresentará, chamando-nos uma vez mais à necessidade de estarmos atentos, aprendermos e partilharmos o que encontrarmos.


Pois esta citação do navio fez-me realmente pensar se não se passará o mesmo connosco, seres humanos frequentemente pequenos e facilmente assustados perante o vasto universo e a certeza de mudança...


Mas, tal como os navios, talvez aquilo que nos é mais confortável não seja o que mais nos faz aprender nem nos ajuda a realizar a nossa potencialidade.



Lança-te ao mar,

Navio,

E nada temas...

Tuas velas

podem ser pequenas

e as ondas batendo na amurada

assustadoras e frias...


Mas eis que a Sul

Brilha a Estrela guia

e a noite

dá origem ao dia

e o caminho se faz Vida Maior

Obra,

Arte e

Amor...



Isabel


(Fotos de Isabel)


18 comments:

Liliana said...

Olá.

Bela citação.
Vi o filme mais do que uma vez, mas não conhecia o livro.
Compreendo que faz apelo à aventura que no fundo é esta vida.
É preciso ter coragem e enfrentar o desconhecido.
Mas é bom cuidar do essencial...


Navio que partes para o mar,
Terás porto onde atracar...
Podes ir a parte incerta
Se acautelaste a coberta,
Reforçaste o tombadilho,
Tens barco de proa erguida,
Um porão bem guarnecido,
Mapas, bússula e estrelas,
Para assim te orientar.

Partes então confiante,
Para nas ondas galgar,
Olhando no horizonte,
A imensidão do mar.
Vês sol nascente e poente
Nuvens e pássaros no ar.
Sentes então simplesmente
Esse e-terno balouçar
Que és tu só e esse mar.


Marinheiro, foste feito,
Das ondas do mesmo mar,
Do pó de estrelas e serras
E do ar que respirares.
Mas depois dessa experência,
Vais abastecer e voltar
É preciso sempre um porto,
Para poderes partilhar...
Para voltares a sonhar...

Chica said...

Linda citação e realmente, nas nossas vidas, não podemos ficar eternamente no porto.Temos que seguir caminhos pelos "mares" sempre tentando aceertar o melhor e não ser pegos por um temporal...um abraço, tudo de bom,chica

Maria Clarinda said...

Vou procurar o D.V.D., gostei muito do post e do que li. Obrigada.
Jinhos

Mariz said...

Salvé amiga/o!

E é bem verdade!
MAl pensamos que estamos a navegar em águas calmas ou temos intenção de ancorar o navio...o TIMONEIRO chama-nos a novos caminhos pelas águas...
O barco não se pode "acomodar"!

Grata pelo comentário vindo da Maria Carmo! Não era necessário. Sempre que posso vou até lá.

Beijos para ambos
Sempre...
MAriz

gaivotadourada22 said...

Belíssimo texto, me levou a reflexão de que realmente navios são feitos pra navegar...enquanto for preciso navegar...enquanto for navio!


A essência em tudo está...
o mar que em ondas se eleva
buscando no céu chegar,
o céu no azul do mar se derrama querendo navegar...

A essência em tudo está...
o sol se transmuta em cores,
as cores "pranifica" outros sóis
permitem que a vida se apresente
orientada no caminho por faróis...

A essência em tudo está...
o viver nos lança mão,
nos empurra ao navêgo,
como mar, o universo
como cais, o coração...

Não há espaço para o medo
nem mais tempo para um negar,
a lição é o desapego
para em luz se transmutar...
...a essência em tudo está...

Não há espaço para o medo,
lança o navio no Mar...


Abraços!

CarlaSofia said...

Olá queridos amigos,
sem dúvida que temos de desafiar os nossos medos e limitações. Somos dotados de potencialidades que desconhecemos e não devemos adormecer a nossa criatividade.
Feliz Primavera e Feliz Despertar.
Beijinhos cósmicos*

Isabel José António said...

Querida mana Liliana,

Obrigado pela visita.

O seu comentário e o poema que efectuou, não são bonitos. São quase uma transcendência... Uau!

Um grande abraço

José António

Isabel José António said...

Querida Amiga Chica,

Muito obrigado pela sua constante presença e pelo seu comentário.

Um grande abraço.

José António

Isabel José António said...

Querida Amiga Maria Clarinda,

Muito obrigado pela sua visita.

Um grande abraço

José António

Isabel José António said...

Querida Amiga Mariz,

Obrigado pela sua visita.

Façamo-nos, então, ao mar, pois navegar é preciso.

Um abraço

José António

Isabel José António said...

Querida Gaivotadourada22,

Uau!Uau! Uau!

Que belíssimo poema nos deixou num simples comentário. Sentimo-nos uns privilegiados no-lo ter deixado.

E cheio de sabedoria. Querida irmã que inspiração nunca a abandone.

Um grande abraço

José António

Isabel José António said...

Querida Carla Sofia,

Obrigado pelo seu precioso comentário.

Descobrirmo-nos em viagens contínuas ao nosso interior, é preciso!

Um grande abraço

José António

António Gallobar said...

Muitos parabens pelo belissimo texto com que nos brinda todo ele convidativo para partir e viver. Todos devemos ter o nosso porto seguro, mas se ficar eternamente no porto do que vale?

É com redobrado prazer que leio todos os comentários que lhes fizeram, bem demonstrativos do carinho que têm por vós. Uma vez mais parabens.

Abraços
António Gallobar

Isabel José António said...

Caro Amigo António Gallobar

Muito obrigado pela sua visita e pelo simpático omentário.

É sempre bem vindo.

Um grande abraço

José António

Verde que te quero ver-te. said...

Que belos versos !

Obrigado pela visita em meu blog.

Grande abraços.

Isabel
(Verde que te quero ver-te"

Cotovia said...

...só o título do blog é do mais belo que se possa imaginar.

O conteúdo, um convite a uma viagem dentro de nós. Fabuloso.

Isabel José António said...

Querida Amiga Isabel
("Verde que te quero ver-te"),

Muito obrigado pela sua amável visita.

Um abraço

José António

Isabel José António said...

Querida Amiga Cotovia,


Muito obrigado pela sua presença neste nosso espaço.

Um grande abraço

José António