Monday, March 02, 2009




TEMPO SEM TEMPO

Sentei-me no alto da montanha
Deixando que a brisa me afagasse
E a imensidão era tal e tamanha
Que não dei que o tempo passasse

Envolveu-me o horizonte e assim
As nuvens eram todas o meu SER
Fiquei sem saber se fiquei ou se vim
Ou sequer se sonhei ou estava a ver

O Universo era apenas o meu lar
Não podendo dizer que era meu
Era uma brisa, aquele suave afagar
Que todo o potencial prometeu

Já não sabia sequer onde estava
Se saía, entrava; se voava ou dormia
Era um outro estado que me transportava
Era apenas uma indescritível alegria

Dali também se avistava todo o mar
Que penetrou meu ser em gotículas
Nasceu em mim toda a vontade de amar
Todos os seres e todas as partículas

Era um outro estado, outra dimensão
Onde tudo se fundia e completava
Era a Vida Una no meu imenso coração
Que inevitável e subitamente despertava

Não sei se um segundo apenas teria passado
Ou uma alguma viagem à eternidade
Quando despertei senti que estava mudado
Eu e tudo o que existe éramos a VERDADE

Nesse fragmento de tempo sem tempo algum
Não quis ser aquilo que não sabia se existia
Senti que tudo e todos éramos somente UM
E que a Vida se desenrola com entrega e magia

E de regresso ao nosso tempo presente
Paira no ar aquela fragrância perfumada
Pensamos, logo existimos, como se sente
Ao percorrer esta via da nova alvorada

Lisboa, 27 de Fevereiro de 2009


José António


(Foto de Isabel)

21 comments:

Maria Clarinda said...

(...)Já não sabia sequer onde estava
Se saía, entrava; se voava ou dormia
Era um outro estado que me transportava
Era apenas uma indescritível alegria

Dali também se avistava todo o mar
Que penetrou meu ser em gotículas
Nasceu em mim toda a vontade de amar
Todos os seres e todas as partículas

Lindo e que fica para meu pensar no dia de hoje.
Jinhos

Chica said...

Uma poesia reflexiva, que mostra a perfeita unidade com tudo aquilo que terodeava. LINDO! um abração e ótima semana,cheia desses momentos assim!chica

Liliana said...

Abrir-se à dádiva da Vida,
É inquirir profundamente.
Querer a Verdade e senti-la,
É Ser e Partrilhar
Completamente.

Um abraço

Isabel José António said...

Querida Maria Clarinda,

Este poema saíu-me assim dum só jorro! Quando o acabei, ao relê-lo, parecia-me que outro alguém ou Algo o tinha escrito.

Ainda bem que gostou e obrigado pela sua visita que iremos retribuir.

Um abraço

José António

Isabel José António said...

Querida Amiga Cica,

Muito obrigado pela sua presença neste nosso espaço. É um estímulo para nós.

Um abraço apertado.

José António

Isabel José António said...

Querida Liliana,

A sua presença aqui e na nossa vida é uma benção.

Obrigado por tudo.

Um abraço

José António

CarlaSofia said...

Queridos Amigos,
quando estamos no lugar certo o tempo pára, ou melhor, o tempo deixa de existir (na verdade ele nem existe). Unimo-nos na eternidade, vemos o nosso reflexo no lado do SER.
Deixo aqui um beijinho de Luz Cósmica vinda dos universos questionaveis

frAgMenTUS said...

adorei, lindo e profundo!
a brisa, a montanha, o mar e os fragmentos do universo que aqui se reunem numa boa poesia!
a propósito da trepadeira do post q ontem vos comentei, escrevi hj um poema c esse título :)
um bj e feliz dia

frAgMenTUS said...

adorei, lindo e profundo!
a brisa, a montanha, o mar e os fragmentos do universo que aqui se reunem numa boa poesia!
a propósito da trepadeira do post q ontem vos comentei, escrevi hj um poema c esse título :)
um bj e feliz dia

Isabel José António said...

Queria Amiga Carla Sofia,

Muito obrigado pelo seu precioso comentário.

De facto é assim como afirma.

Um grande abraço e volte sempre pois vamos já visitá-la também.

Um abraço

José António

Isabel José António said...

Querida Amiga Fragmentus,

Os seus comentários são preciosos.

Muito obrigado por nos seguir.

A seguir vou já visitar o seu espaço

Um abraço

José António

gaivota said...

um lindo poema a transbordar de paixão...
beijinhos

Isabel José António said...

Querida Amiga Gaivota,

Muito obrigado por ter passadocá em nossa casa.

Um grande abraço

José António

Angel of Light said...

Doce e grande Irmão de Luz!

Com as lágrimas a gotejar..., venho agradecer o LINDO poema dedicado a todos os magníficos Seres de Luz que têm encarnado na Terra - a quem chamamos de Crianças -, todos eles com enormes Propósitos Puros..., poema esse deixado no meu cantinho que se encontra "recolhido".

Obrigada por não se ter esquecido de nós. Somos todos UM, como é que nos havemos de esquecer de "nós próprios", não é?

Quanto a este lindo post, resume bem a nossa Unidade... com o Todo, expressa bem o grito da nossa verdadeira essência... a União e Identidade que todos deveriamos sentir e brotar do nosso coração... todos os dias, a toda a hora... a todo o segundo.

Deixo-vos luzinhas de cor dourada sobre os vossos corações!

Beijinhos de Amor e Luz aos dois

p.s.: Obrigada pela vossa "presença".

Isabel José António said...

Querida Irmã Angel,

Nada tem que agradecer.

Ao ver tanta luz, amor e carinho, aquilo saíu-me assim, vindo não sei de onde. Apenas deixei que se fizesse em mim.

Muitas felicidades e não se recolha tanto, querida irmã.

A sua Luz é uma preciosidade na blogoesfera, não deverá estar tanto tempo recolhida.

Um grande abraço

José António

CarlaSofia said...

Queridos amigos,
aqui vai:
carlasofia.rodrigues75@gmail.com
beijinhos cósmicos

Isabel José António said...

Querida Amiga Carla Sofia,

Muito obrigado.

Logo a Isabel já lhe retirará o seu email dos comments.

Um abraço

José António

ลndreia said...

Gostei!
O Universo é também o meu lar... *

Isabel José António said...

Cara Amiga Andreia,

Muito obrigadp pela sua passagem também nesta nossa outra casa.

Um abraço

José António

Mariz said...

Salvé amigo

Isto é de poeta mesmo...tal como os versos deixados no meu ouro post.
tenho vindo devagar dar um abraço a cada um, porque a net anda a passo de caracol por aqui e desliga-se também...
gostei desse (re)ligar-se no TODO, enquanto se adormece - meditando - no UM.
Que a serenidade e a beleza continuem a inundar o seu coração

Abraço de sempre...
Mariz

Isabel José António said...

Salvé Querida Amiga Mariz,

É profundamente regeneradora cada visita que nos faz.

Um grande abraço para si.

José António