Tuesday, February 16, 2010







Como poderemos desejar ter um mundo melhor, se não paramos as deambulações das nossas mentes sore todos os "lixos" que nos aparecem? O desejo de ter ou ser mais do que alguém; a indiferença; a má língua; os conteúdos das tvs; a violência doméstica; os condicionamentos económicos; a falta de ética; as desigualdades sociais, etc.

Quando deixaremos de nos "distraír" por estas nuvens que nos impedem de sermos humanos de facto?

Termino com uma inspiradora citação do Escritor Vergílio Ferreira:

"...A evidência a Vida não é a imediata realidade, mas o que a transcende".


José António

Lisboa 16 de Fevereiro de 2010.

(Fotos de Isabel)




26 comments:

Chica said...

Precisamos acostumar nossa mente e acalmá-la,aquietá-la com algo que possa lhe dar descanso ou nos fazer bem! abraços e bom ver vocês por aqui!chica

Isabel José António said...

Olá Chica, por favor vá ver os nossos Poesia Via e Observatório! Beijos.

CarlaSofia said...

A mente traz inquietude. A serenidade reside no silêncio e no diálogo interior.
beijinhos*
~universosquestionáveis~

Liliana said...

Ver para além do visível olhar...

Um abraço amigo

Isabel José António said...

Olá Querida Amiga Carla Sofia,

Muito obrigado pela sua visita.

Já temos saudades suas.

Um beijinho e um abraço

José António

Isabel José António said...

Olá Querida Amiga Carla Sofia,

Muito obrigado pela sua visita.

Já temos saudades suas.

Um beijinho e um abraço

José António

Isabel José António said...

Querida liliana,

É sempre um gosto enorme recebermos a sua visita.

Um grande abraço

José António

Isabel José António said...

Querida liliana,

É sempre um gosto enorme recebermos a sua visita.

Um grande abraço

José António

Pérola said...

Bom dia!!!
A mente é o produto que rege todas a nossas atitudes,se soubermos conecta-la com sabedoria de conduzi-la calma e plena,é possível q possamos isola-la das partes q à afeta.
Um beijo grande.

Norma Villares said...

Com certeza que precisamos acostumar nossa mente e aquietá-la, e a meditação é de grande serventia.

E a presença deve estar no "aqui e agora", pois o passado´e futuro é perda de energia.

Muito obrigada pela visita e comentário.

Grande a afetuoso abraço

alegria de viver said...

Olá
Obrigada pelo poema que deixou no meu blog.
Que nossos olhos jamais se acostumem com tantos conflitos.
Com muito carinho BJS.

Isabel José António said...

Olá Pérola,

Obrigado pela visita e pelo precioso comentário.

Um grande abraço

José António

Isabel José António said...

Olá Querida Amiga Norma,

pleno de sabedoria o seu comentário.

Um grande abraço

José António

Isabel José António said...

Olá Alegria de Viver,

Muito obrigado pela sua visita e comentário.

Um grande abraço

José António

valvesta said...

Olá, boa tarde na paz.
Não entendi se foi "querida"resposta ao meu comentário , blog do vieira... quero retificar , eu tenho grande carinho, por ele, na verddade acho que que deixei escapar uma resposta de algo particular, vim só pra consertar e te fazer saber amo aquele poeta e o respeito muito por tudo que sempre foi e é, o tenho como refencia. um abraço e desculp-me.

Isabel José António said...

Cara Amiga Valvesta,

Muito obrigado pela sua visita.

Sinceramente não entendi o seu comentário. Ter-se-á enganado?

Um abraço

José António

poetaeusou . . . said...

*
o reino
do despudor,
aproxima-se !
,
conchinhas, ficam,
,
*

Isabel José António said...

Caro Amigo Poetaeusou,

Obrigado pela sua visita.

Não lhe chamaria o reino do despudor. Mas certamente estamos a aproximar-nos dum fim dum ciclo.

Não é possível assistirmos, durante muito mais tempo, aao estado de coisas que grassa um pouco por todo o planeta.


Um grande abraço

José António

Pérola said...

Vim te deixar o meu beijo.

Isabel José António said...

Querida Amiga Pérola,

Muito obrigado pela sua passagem, nesta outra nossa casa.

Um grande abraço

José António

Serenidade said...

Este mês, o Clube de Leitores da Edita-Me tem por convidados os autores Pedro Branco e Inês Girão, co-autores da obra "Escolhas (2ª Edição)" e a autora Carla Madureira com o seu livro "Retalhos Serenos".

Dentro do que já se tornou habitual, em torno de uma chávena de café ou chá, conversaremos sobre os autores, suas obras e muitos outros assuntos, onde a conversa nos leve.


Venha conhecer de perto e conversar com os seus autores.





No final da conversa, pelas 18h00, o autor Pedro Branco juntamente com o seu amigo "Zé Manel", brindar-nos-ão com o seu mais recente espectáculo "Encontro"

Serenos sorrisos

At+e beve irmãos:)

Isabel José António said...

Querida Mana Carla,

Muito obrigado pela visita e pela informação.

Será que podes responder-me às perguntas que deixei no teu blogue?

Beijinhos

José António

Serenidade said...

Mano querido,

será no Clube literário do Porto, no próximo domingo, a distância não permite a vossa presença física, mas estão sempre comigo.

Serenos sorrisos

Gaivotadourada22 said...

Meus amigos... Uma verdadeira reflexão que nos é oferecida pelos corações de vocês!!! Obrigada, realmente como falou a Chica é preciso que aquietemos nossa mente e mudemos o rumo de nossa caminhada...
Abraços!

Isabel José António said...

Olá Querida Amiga Terezinha,

Muito obrigado pela sua visita e reflexão.

Um grande abraço

José António

Jean said...

Olá queridos!!!!

Realmente a quanto tempo eu não lhes visitava... e saudades de ler seus textos e poemas tão cheios de inspiração e sensibilidade que transcende o visível...

Realmente se damos ouvidos as influências externas do mundo mal e perverso que nos rodeia, cometemos o erro de nos tornarmos insensíveis até mesmo as obras mais lindas e os milagres da natureza.

Se evitamos completamente esses influencias externas, acabamos nos alienando e acabamos nos tornando pessoas de dificil convivencia.

Creio que o bom senso entre o ordinário e o extraordinário deve nortear nossas vidas para que sempre possamos ter os pés no chão, mas com sensibilidade suficiente para adimirar um belo nascer do Sol...

Desejo-lhes cada dia mais essa sensibilidade...

Abraços!!!